Guarani e Kaiowá

fonte: flickr

Investigações arqueológicas mostram que a cultura guarani tem origem nas florestas tropicais das bacias do Alto Paraná, do Alto Uruguai e extremidades do planalto meridional brasileiro (Schmitz: 1979,57). No século V (anos 400 d.C.) esta cultura já teria se diferenciado da tupi e estaria estruturada com características observáveis no século XVI, bem como nos dias de hoje.

O guarani-kaiowa, como são conhecidos na literatura antropológica brasileira, de bom grado, como informa Cadogan (1959), aceitariam a designação de paĩ, título empregado pelos deuses habitantes do paraíso ao dirigir-lhes a palavra, mas o nome que melhor lhes corresponde é o de tavyterã ou paĩ-tavyterã,que significa “habitante do povo [aldeia] da verdadeira terra futura ” (távy-yvy-ete-rã). Os ñandeva referem-se a estes paĩ-kaiowa como tembekuára (orifício labial) por seu costume de perfurar o lábio inferior dos homens jovens onde se insere pequeno bodoque de resina em cerimônia de iniciação.

O nome Kaiowa deve decorrer do termo KA’A O GUA, ou seja, os que pertencem à floresta alta,densa, o que é indicado pelo sufixo “o” (grande), referindo-se aos atuais Guarani-Kaiowa ou paĩ-tavyterã.

Habitando a região sul do Mato Grosso do Sul, os Kaiowa distribuem suas aldeias por uma área que se estende até os rios Apa, Dourados e Ivinhema, ao norte, indo, rumo sul, até a serra de Mbarakaju e os afluentes do rio Jejui, no Paraguai

leia mais …

 

ONU lança documentário ‘Guarani e Kaiowá: pelo direito de viver no Tekoha’

O Genocídio Silencioso dos Guarani Kaiowá

 

Notícias

Operando com 10% do orçamento, Funai abandona postos e coordenações em áreas indígenas

25/03/2019 – 23:55
Em zonas de conflito, há coordenações que funcionam dentro de carros e funcionários que sofrem de esgotamento físico e mental por atuar sozinhos

  • Primeiras nomeações do governo Bolsonaro são para cargos em capitais
  • Instituição funciona com um terço do quadro de servidores
  • Servidores enfrentam pressões de fazendeiros, policiais e indígenas …

    Continue lendo

Posted in Mídia brasileira, Povos indígenas | Tagged , , , , | Leave a comment

Geógrafo alerta para desmonte da Funai

19/03/2019
Professor do Instituto de Geociências (IG) da Unicamp vê “cenário bastante trágico para as populações indígenas”

O professor Vicente Eudes Lemos Alves, do Instituto de Geociências (IG) da Unicamp, ressalva que não é um estudioso da questão indígena, embora coordene um projeto de extensão junto à população Guarani da aldeia Rio Silveira, em …

Continue lendo

Posted in governo, Mídia brasileira, Povos indígenas, quilombolas | Tagged , , , , , , , , , | Leave a comment

A resistência Guarani e Kaiowá

26/04/2018
Os fotógrafos Ana Mendes e Pablo Albarenga passaram três anos documentando os indígenas do Mato Grosso do Sul

“A morte estava na atmosfera”

A primeira coisa que aprendi quando cheguei ao Mato Grosso do Sul foi a pensar na morte. Me surpreendia a presença dela na fala dos indígenas, mas não só deles. …

Continue lendo

Posted in Mídia brasileira, Povos indígenas | Tagged , , , , , | Leave a comment

Link permanente para este artigo: https://brasildemocratico.net/site/guarani-e-kaiowa/