Estamos tomando água poluída, de mercúrio. O povo yanomami vai sumir

Davi Kopenawa, líder yanomami, denunciou na ONU a situação dos indígenas e criticou o Governo brasileiro. Em entrevista ao EL PAÍS, afirma: “A nossa mãe, a Funai, já morreu”

O xamã indígena Davi Kopenawa, pajé e presidente da Hutukara Associação Yanomami, participa da mesa que a Festa Literária Internacional de Parati de 2014 dedicou aos índios e à Amazônia (Fernando Frazão/Agência Brasil CCBY3.0)

No final da década de 1980, o líder indígena yanomami, Davi Kopenawa, deixava sua aldeia, na floresta amazônica, para denunciar na Organização das Nações Unidas (ONU) que a terra de seu povo havia sido invadida por 40.000 garimpeiros em busca de ouro. Um levantamento oficial realizado na época constatou a presença de 82 pistas clandestinas de voo, usadas para levar esses trabalhadores ao centro da floresta, 200 balsas que bombeavam cascalho atrás do minério e cerca de 500 barracas espalhadas por três acampamentos localizados dentro de aldeias yanomami. Como resultado, estima-se que cerca de 20% da população indígena local tenha morrido por doenças, como malária, por fome ou vítima de outros impactos causados pela mineração, aponta um documento feito pelas associações dos povos indígenas locais com o Instituto Socioambiental (ISA), que começará a ser divulgado neste mês.

leia mais El País …

Please follow and like us:

Link permanente para este artigo: https://brasildemocratico.net/site/estamos-tomando-agua-poluida-de-mercurio-o-povo-yanomami-vai-sumir/