Como na ditadura: guardas civis de Ouro Preto destroem homenagem a Marielle

Reprodução

22/04/2019 – 12:13
“Liberdade de expressão não é absoluta”, afirmou a Guarda Civil da cidade, após agentes pisotearem um tapete de serragem, em memória da vereadora carioca, que morreu por defender policiais contra milícias

Agentes da Guarda Municipal de Ouro Preto, em Minas Gerais, destruíram uma homenagem à vereadora Marielle Franco (Psol-RJ) neste domingo (21). Vídeos que circulam nas redes sociais mostram os guardas pisoteando um tapete de serragem em memória da ativista que estava exposto na rua como parte do tradicional encerramento da Semana Santa na cidade histórica. Moradores e turistas que presenciaram a ação questionaram os guardas e protestaram sob gritos de “Marielle Vive” e “Ei Bolsonaro, vai tomar…”.

Em meio às críticas, a Guarda Civil rebateu, em nota, que “desenhos de cunho político” não têm relação com o intuito da confecção dos “tapetes devocionais”. “Informamos que a liberdade de expressão não é absoluta ainda mais quando outros direitos estão sendo afetados”, afirmou a corporação. “O recado já foi dado em 2018, em 2019 não foi diferente”, prosseguiu a nota.

leia mais Rede Brasil Atual …

Please follow and like us:

Link permanente para este artigo: https://brasildemocratico.net/site/como-na-ditadura-guardas-civis-de-ouro-preto-destroem-homenagem-a-marielle/